Novas Tecnologias Facilitadoras do Controle das DCNT e Estilos de Vida

Rosangela Andrade - 29/04/2019

VOCÊ usa tecnologia digital? Muitos responderiam que sim, e existem boas razões para isso. Os aparelhos eletrônicos têm um papel importante e útil no trabalho, na vida social e no entretenimento. Além dos jovens e adultos, os idosos, na maioria mulheres, buscam a internet para estarem conectadas com a família e ainda buscar dicas de saúde, que é um dos grandes motivadores deste público. Os idosos, ao usarem a tecnologia digital, se informam sobre diagnósticos, tratamentos, medicamentos e atividades físicas que podem ajudá-los a levar uma vida melhor.

Além da navegação na rede, existem os aplicativos, que são ferramentas úteis no que diz respeito a ajudar as pessoas a terem uma mais vida equilibrada e saudável. São apps relacionados à nutrição, educação alimentar, maternidade, exercícios físicos etc. Tudo isso existe para atender a demanda do novo estilo de vida das pessoas, em que todos buscam a praticidade e a facilidade na interação com o dia a dia. 

Muitas organizações estão modernizando seus programas de qualidade de vida, de forma online, com informações sobre a saúde pessoal e restrita a cada trabalhador. O acesso aos dados sobre medicamentos de uso contínuo, o cartão de vacinação, principalmente para trabalhadores viajantes, a lista de exames realizados, além de outras informações, podem garantir uma gestão mais eficiente no controle das Doenças Crônicas Não Transmissíveis – DCNT. 

Sob o ponto de vista da organização, as DCNT não controladas são determinantes de adoecimento antecipado, mortalidade antecipada, custos elevados tanto de tratamento de doenças como de atendimentos hospitalares, implicando assim no contínuo aumento do gasto com a assistência médica e farmacêutica. 

Neste contexto, o subobjetivo 3.4, da ODS 3 |ONU Brasil, realça que até 2030, a meta é reduzir em um terço a mortalidade prematura por doenças não transmissíveis por meio de prevenção e tratamento, e promover a saúde mental e o bem-estar. Por isso, durante a 18º Edição do Congresso Brasileiro deQualidade de Vida, serão consideras as questões do momento, sobre a consulta virtual, a busca da informação de profissionais na web e o uso de aplicativos. A mesa discutirá esse tema sob alguns enfoques como: Uso da tecnologia na interação com as pessoas, uma ferramenta baseada na internet; A tecnologia como fenômeno facilitador do controle das DCNT; Como a experiência do uso da informação sobre as DCNT têm sido estratégicas para a organização e os impactos do que se pode chamar de tecnoestresse.

Priorizando os fatores de proteção contra as DCNT

Saúde mental: cuidado permanente

Saúde: não existe almoço grátis

PNQV 2019 – A decisão estratégica de reposicionamento do programa de Qualidade de Vida da empresa

Programação de Cursos do 18ª Congresso Brasileiro de Qualidade de Vida

Agenda inclui o tema ‘Estratégias educacionais para apoio emocional às vítimas de desastres ambientais’. O curso ‘Programa de assistência ao Empregado’ será ministrado pela presidente da EAPA dos Estados Unidos, Libby Timmons.

Epidemias: o que fazer?

Sexualidade e Estruturas Familiares nos Tempos Atuais

Preservação da Vida no Trânsito

Drogas: Qual é o melhor Caminho?

ODS 2030 - A Dimensão Ambiental

Vídeo 4

ODS 2030 - A Dimensão Social

Vídeo 5

A Importância da Informação. O Futuro Agora!

Congresso Brasileiro de Qualidade de Vida

A Importância do Cuidado com a Maternidade e a Criança

Congresso Brasileiro de Qualidade de Vida

ODS 2030 - As Dimensões Institucional e Econômica

Vídeo 3

Qual o Papel do Setor Produtivo na Implantação da Agenda 2030?

Congresso Brasileiro de Qualidade de Vida

ODS 2030 - Como os temas se agrupam subdivididos e a preservação da integralidade

Vídeo 2

ODS 2030 - O que são ODS e sua relação com saúde e qualidade de vida

Vídeo 1

Tema central ODS 2030

Agenda 2030 - ONU: "Esta Agenda é um plano de ação para as pessoas, para o planeta e para a prosperidade. Ela também busca fortalecer a paz universal com mais liberdade.