A Importância do Cuidado com a Maternidade e a Criança

Rosangela Andrade - 22/04/2019

Como encarar o desafio de ser mãe nos dias atuais? Sem dúvida o nascimento de um filho, além de encher a família de alegria, trata-se de um momento que toda a atenção se volta para o bebê. Especialistas orientam que o cuidado com a mãe durante este período também é muito importante, por ter passado por momentos intensos, em alguns casos até por uma cirurgia. 

Órgãos da ONU,  como o Fundo das Nações Unidas para a Infância (UNICEF) e a Organização Mundial da Saúde, têm trabalhado bastante para melhorar a vida das crianças e também das mães, tanto que, a OMS criou um checklist de parto seguro, com a participação de especialistas e pacientes.

A maternidade acarreta um sentimento de plenitude trazido pela experiência de ser mãe, com uma nova identidade social. No entanto, quando isso acontece na adolescência, que é uma fase de intenso desenvolvimento da capacidade, esta experiência pode ocasionar a interrupção de aspectos relevantes de suas vidas. Um estudo realizado pelo IPEA (Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada) mostrou que 76% das adolescentes que tem filhos não estudam e mais da metade não trabalha.

Embora o índice de gravidez na adolescência tenha diminuído 17% nos últimos dez anos, segundo dados do Ministério da Saúde, os índices continuam altos e preocupantes, pois, de acordo com especialistas, a gestação nesta faixa etária costuma ser de risco, com baixa cobertura de pré-natal e bebês com menos peso. O fato é ainda mais preocupante com meninas que ainda nem se tornaram adolescentes e já tem a vida transformada pela maternidade. 

Inserir na sociedade ações de inclusão social que possam “Assegurar uma vida saudável e promover o bem-estar para todos, em todas as idades”, é o Objetivo de Desenvolvimento Sustentável 3, proposto pela ONU. A meta do ODS 3 (até o ano de 2030) é que muitas dificuldades que estão relacionadas ao cuidado com a maternidade e a criança sejam resolvidas. O subobjeitvo 3.7, por exemplo, visa assegurar o acesso universal aos serviços de saúde reprodutiva, incluindo o planejamento familiar, informação e educação, além da integração da saúde reprodutiva em estratégias e programas nacionais.

Outro desafio da maternidade é a necessidade de se adaptar às novas modalidades de trabalho como: empreendedor individual, intermitente e o informal. Sem mencionar o que, caracteriza o mundo corporativo atual é a demanda por longas horas de trabalho e a presença da liderança feminina, onde cada vez mais as mulheres ocupam cargos em todas as áreas corporativas. Como as trabalhadoras podem conciliar a questão da gravidez, parto seguro e o cuidado com o bebê?

Para termos um trabalho produtivo, sem dúvidas, o fortalecimento de ações integradas e intersetoriais que considerem as vulnerabilidades que afetam esse grupo, torna-se cada vez mais relevante. Durante a 18º Edição do Congresso Brasileiro de Qualidade de Vida, que está marcado para acontecer de 23 a 25 de junho, no Instituto Sírio Libanês, em São Paulo (SP), o papel das organizações como liderança capaz de disseminar informações e recursos de qualidade, será considerado sob alguns enfoques como: o parto adequado, o planejamento reprodutivo e o desenvolvimento de programa de apoio à gestação no mundo corporativo.